Brava
Ingleses
Santinho
Moçambique
Barra da Lagoa
Galheta
Mole
Joaquina
Campeche
Morro das Pedras
Lagoa do Peri
Armação
Matadeiro
Lagoinha do Leste
Pântano do Sul
Solidão
Naufragados
Caieira
Ribeirão da Ilha
Tapera
Centro
Cacupé
Santo Antonio de Lisboa
Sambaqui
Daniela
Forte
Jurerê Internacional
Jurerê
Canasvieiras
Ponta das Canas
Lagoa da Conceição


 

Praia Brava:

      

Com ótima estrutura de hotéis e excelente acesso. Está limitada entre o mar e a Encosta íngreme, de onde em sua chegada obtém-se uma visão magnífica de toda praia. O mar é agitado, com ondas ótimas para a prática do surfe e águas cristalinas com excelentes condições para mergulho. Com condomínios de elevado padrão, com canchas de tênis, padlle, piscinas e play ground. Possui hotéis, bares e restaurantes de ótimo nível. Distância do Centro a praia: 38 km

Praia dos Ingleses:

Uma das mais procuradas de Florianópolis. O nome veio de um navio inglês que naufragou ali em 1700. A infra-estrutura desta praia, é muito boa, dispondo de bares, restaurantes, hotéis, boates, diversões eletrônicas e shoppings, pode-se também, fazer compras de madrugada em qualquer dia da semana. Durante o dia, existem serviços que oferecem passeios de escuna, de caiaques ou qualquer outro meio náutico. O banho nesta praia é muito agradável, apesar da água não ser quente. Embora não seja ideal, a praia permite a prática do surfe. Uma das maiores formações de dunas da Ilha de Santa Catarina, esta nesta praia, onde é possível praticar o sandboard ou "surfe na areia", um dos esportes mais requisitados pelos turistas no verão. Distância do Centro a praia: 36 km

Santinho:

Com 12,5 quilômetros de extensão quase intocados pelo ser humano, a Praia do Santinho é procurada principalmente por turistas que gostam da natureza e tranqüilidade do lugar. Os surfistas são os maiores freqüentadores. Embevecidos com sua beleza paradisíaca, consideram o Santinho a melhor praia do Norte da Ilha de Santa Catarina para surfar. É no costão esquerdo, onde os banhistas não se atrevem a nadar, que eles dividem espaço com os pescadores para praticar o esporte. Apesar de ficar distante 40 quilômetros do centro de Florianópolis, vale a pena uma visita ao Santinho. É lá por exemplo, que encontramos um interessante acervo de inscrições rupestres feitas pelos índios Carijós há mais de 5 mil anos. São aproximadamente 3 metros quadrados de um paredão de diabásio preto, junto à praia, que encontram-se cobertos de sinais gravados profundamente na rocha. Os motivos são círculos concêntricos com pontos ou com X no centro, linhas onduladas paralelas e figuras estilizadas de homens. O nome Santinho vem de uma estilização da figura humana, gravada em um bloco isolado de diabásio. Até a década de 40, era comum os pescadores fazerem oferendas, rezarem e pedirem proteção ao santo.

Moçambique:

     

Moçambique ou Praia Grande. É a praia de maior extensão da Ilha. Seu nome originou-se de um molusco semelhante à ostra. Cercada pela Reserva Florestal do Rio Vermelho, apresenta pouca infra-estrutura. Águas claras com ondas de boa formação, deixando opção para o surfe. Distância do Centro a praia: 29 km

Barra da Lagoa:

   

Com uma atmosfera que respira a pesca, e o maior núcleo pesqueiro da Ilha, a Barra da Lagoa também é uma das praias mais procuradas em Florianópolis. Suas águas não chegam a ser violentas, mas em alguns dias é possível a prática do surfe, principalmente junto ao costão, do lado direito da praia. Na Barra existem muitas opções de pousadas e casas de aluguel, além de campings. Seu maior atrativo turístico concentra-se em julho aonde a comunidade organizada e realiza a Festa da Tainha.
Distância do Centro a praia: 20 km

Galheta:

   

É semi-deserta, com acesso somente por uma trilha de 500 metros, a partir da Praia Mole. Sem infra-estrutura de bares e restaurantes a Galheta é ideal para quem curte a natureza em toda a sua extensão. Mar de águas cristalinas, praia com areia branca e fina, as pedras e as montanhas cobertas de vegetação rasteira, arbustos, orquídeas e bromélias fazem da Galheta um paraíso, onde o silêncio só é quebrado pelas ondas do mar. Protegida por um morro que a mantém isolada da estrada, a Galheta, desde a década de setenta, é freqüentada por naturistas, embora a prática do nudismo nunca tenha sido obrigatória. A praia possui Sambaquis, sítios arqueológicos com inscrições rupestres. Distância do Centro a praia:15km + 0,5km de trilha ou barco.

Praia Mole:

               

Tradicional point da juventude da Ilha, a Praia Mole, que tem este nome devido à sua areia solta e macia, é freqüentada principalmente por surfistas e praticantes de parapente, que aproveitam a encosta sul como rampa de decolagem. Nos dias mais quentes, a paquera toma conta do lugar. Corpinhos atléticos e torneados desfilam por suas areias, exibindo todo o charme de quem sabe aproveitar as coisas boas da vida. Crianças quase não pisam na Mole. Os muitos buracos logo na entrada do mar, e o aumento rápido da profundidade são inimigos número um da garotada que gosta de se divertir. Embora possua boa infra-estrutura, com bares à beira mar, estacionamentos, duchas, sanitários e posto salva-vidas. A praia é muita limpa, e o pessoal luta muito pela sua preservação. Distância do Centro a praia: 15 km

Lagoa da Conceição:

      

Considerada uma das paisagens mais bonitas de Florianópolis, destaca-se como um dos principais pontos turísticos da capital, de beleza paisagística excepcional, famosa pela oferta gastronômica típica, pela pesca e renda artesanais, por sua lagoa e dunas e pelo conjunto histórico-arquitetônico. Cercada por águas calmas e dunas macias, a sua Avenida das Rendeiras, caminho para praias: Joaquina, Praia Mole e Barra da Lagoa, costuma ser um dos pontos mais freqüentados de Florianópolis durante o verão, com diversos bares, restaurantes e pequenos hotéis. Com serviços de correio, banco, mini-mercados, lojas, marinas, postos de abastecimento e com uma vida noturna agitada, a Lagoa da Conceição é hoje considerada um bairro autônomo.Distância do Centro a praia: 13 km

Joaquina:

     

Freqüentada principalmente por jovens, surfistas, praticantes de vôlei de praia, trekking, futebol e etc. No fim de tarde, é uma das praias que oferece melhor infra-estrutura é um dos pontos mais movimentados da Ilha. Além da praia, as dunas propiciam a pratica do "sand board" ou surfe na areia. As pranchas usadas na prática deste esporte podem ser alugadas no próprio local. É mundialmente conhecida por excelentes condições para a prática do surfe e pela infinidade de competições deste esporte sediados nela. Seu nome se origina de uma velha rendeira chamada Joaquina que segundo conta a lenda, morreu afogada nesta praia. Oferece serviços de estacionamento, salva-vidas, terminal turístico, lojas de artesanato, restaurantes, bares, chuveiros, banheiros, além de iluminação noturna. Distância do Centro a praia: 15 km

Campeche:

           

Seu nome o mesmo da Ilha em frente, tem duas versões, uma originada de uma árvore, o Pau-Campeche de madeira corante empregada em tinturaria e A outra, que aponta o nome como uma união das expressões francesas "camp" e "pêche" . Camp no sentido de campo, e pêche de pescaria. Possuindo um campo de pouso onde entre 1926 a 1939 , o escritor e aviador francês Saint-Exupery fazia escala onde operava o correio do sul. Destacam-se como reserva ecológica a Lagoinha da Chica e a Lagoinha Pequena, barradas no lado leste por uma faixa de dunas, fixas de vegetação rasteira que se estende ao longo da praia, sendo bem servida em termos de bares e restaurantes. Distância do Centro a praia: 20 km

Morro das Pedras:

      

Ir ao sul da Ilha e não conhecer a Praia do Morro das Pedras é dispensar a oportunidade de apreciar um belo espetáculo da natureza: o mar se chocando contra as pedras, fazendo com que a água seja lançada a vários metros de altura.
Toda a beleza do Morro das Pedras se evidencia, ainda mais, numa visita à Casa de Retiros dos padres jesuítas, construída no topo de uma colina com pedras extraídas do próprio local. O visual, inesquecível, demonstra que a praia permanece intacta, sem construções ou quiosques à beira-mar. A Praia do Morro das Pedras está entre o Campeche e a Armação. Ali, o vento sul forte não altera as condições de suas ondas, sempre agitadas. Distância do Centro a praia: 22 km

Armação:

                    

Seunome significava armadilha para baleias. É um dos principais núcleos de pesca Artesanal da Ilha de SC, e ali também se localiza um dos mais importantes sítios arqueológicos do estado. Com boa quantidade de ondas, não chega a ser perigosa para banho. Possui restaurantes muito procurados, localizados junto à praça, dominada pela centenária capela açoriana de 1772 e construída pela companhia de Pesca da Armação. Era lá que os arpoadores e tripulantes das baleeiras se confessavam e ouviam missa antes da pesca começar. Em seguida, o sacerdote descia à praia para benzer as embarcações que iam para o mar. Da igreja original praticamente nada mais resta, embora ela conserve muitas características da reforma feita em 1838. Outra, realizada em 1948, modificou totalmente a fachada original do prédio. O agito do verão fortalece as opções noturnas, com novos bares, pousadas e restaurantes. Da Armação também saem os barcos para a Ilha do Campeche, uma das mais visitadas ilhas que rodeiam Florianópolis. Distância do Centro a praia: 25 km

Matadeiro:

       

A praia do Matadeiro, a cerca de 30 quilômetros do Centro de Florianópolis, se mantém até hoje como um recanto de paz e tranqüilidade. Por ser uma das poucas praias na Ilha de Santa Catarina onde não se tem acesso de carro - somente por uma trilha calçada, de aproximadamente 200 metros, atravessando o rio que vem da Lagoa do Peri -, a natureza e calma do local estão preservadas. Depois da leve caminhada de menos de dez minutos, o panorama do Matadeiro é deslumbrante: do alto do costão por onde passa a trilha, é possível avistar toda a praia, com aproximadamente um quilômetro de extensão, com areias finas e brancas, com boas ondas e águas límpidas.
O nome da praia tem origem na pesca da baleia, prática comum na região até o início do século passado. Os pescadores colocavam suas armadilhas na praia vizinha - a Armação -, e iam para a lá abater os gigantescos mamíferos marinhos. O Matadeiro, entretanto, só começou a ser descoberto - do ponto de vista turístico - no final da década de 70, pelos surfistas que encontraram ali ondas perfeitas e muita natureza. Eles enfrentavam algumas dificuldades - a ponte não existia e a trilha era mais difícil -, e acampavam na praia.

O esforço sempre foi recompensado com uma fantástica formação de ondas. Até hoje o local é um dos melhores points para a prática do surfe na Ilha. Esta característica das ondas atrai para o Matadeiro um público eclético, formado em sua maioria por jovens e famílias que buscam um pouco de sossego num ambiente agradável, tranqüilo e seguro.

Além da beleza natural, o Matadeiro reserva outros atrativos, como uma gruta marinha de mais de 700 anos, conhecida por supostamente ser um centro de energia. Segundo contam moradores mais antigos, a gruta teria sido habitada por índios, escravos e até por fugitivos. Alguns moradores garantem que já viram espíritos, duendes e até o saci-pererê passando por ali. Lendas à parte, vale a pena conferir.

 

Lagoinha do Leste:

    

Um dos últimos redutos de Mata Atlântica ainda preservados em Florianópolis, o Parque Municipal da Lagoinha do Leste, foi criado por lei em 1992 e compreende uma área de 453 hectares de beleza exuberante. A melhor maneira de chegar à Lagoinha do Leste é a pé. De carro é impossível, não há estrada. Pode-se também ir pelo mar, com desembarque precário por causa da rebentação. Essa relativa dificuldade de acesso tem servido, ao longo do tempo, como escudo protetor do lugar. A caminhada dá para suar a camisa, mas também não exige habilidades de alpinista e pode ser encarada sem sacrifício por quem gosta de estar junto da natureza.
Há duas opções de trilha, cada uma com suas vantagens. Para chegar mais rápido, pode-se fazer a caminhada em uma hora a partir da comunidade do Pântano do Sul, passando pelo meio do mato e dos morros. É o acesso mais utilizado pelos visitantes. O chão é pedregoso e irregular, mas fácil de andar se você prestar atenção onde pisa. Depois da subida, tem-se a surpresa de uma vista fabulosa da Lagoinha. Aí é só descer e afundar os pés na areia da praia. Um parênteses: quem já teve o privilégio de assistir, em ocasiões especiais, o espetáculo das algas fosforescentes na Lagoinha fica com a cena gravada para sempre. Como num sonho fantástico, a água cintila ao menor toque, a areia molhada da margem brilha com os passos da noite. Distância do Centro a praia: 28 km + 2,5 Km trilha ou barco

Pântano do Sul:

       

Considerada uma das mais ricas colônias de pescadores da Ilha, a praia do Pântano do Sul possui uma área com 2,35 quilômetros de extensão, com mar aberto e relativamente agitado, a maioria dos seus freqüentadores são nativos e turistas que procuram um lugar mais tranqüilo. A Costa de Dentro é um desses lugares. Além de possuir cerca de 200 casas e um mar de águas cristalinas, há sempre salva-vidas por perto. Um chamariz para os casais com filhos.
Com boas opções de restaurantes, Pântano do Sul é especialista em frutos do mar. Mal a aurora dá o ar de sua graça e os barcos já começam a partir, trazendo tudo fresquinho, pronto para ser saboreado. É por isso que os restaurantes estão sempre repletos de gente.
É no Pântano do Sul também, que encontramos os mais distantes registros arqueológicos. O sambaqui daquela localidade é formado por antigos depósitos de conchas e de esqueletos amontoados por tribos selvagens em nosso litoral, datado em aproximadamente 4.500 anos. Distância do Centro a praia: 29 km

Praia da Solidão:

Avistada da praia do Pântano do Sul, a Solidão era uma espécie de Praia do Santinho há 10 anos, hoje a trilha que leva à praia está melhor e as visitas turísticas mais constantes. O local faz jus ao nome, pois é muito procurado pelas belezas naturais e pela tranqüilidade de seus 850 metros de praia. Além do mar como atração, há escondida no meio das árvores, uma cachoeira que forma uma piscina natural, com águas claras. Para chegar lá, é preciso atravessar a pequena ponte de madeira sobre o Rio das Pacas, subindo o morro por uma trilha rústica. O mar é quase sempre agitado, pois recebe constantemente as ondulações de leste e sul. A preferência infantil é pelo rio, que no passado era domínio das pacas, daí o seu nome. Quando você chegar ao Rio, olhe para a margem oposta e perceba a casa rústica e de telhado de palha: ela foi construída por João Vicente, filho do ex-presidente João Goulart, mas foi abandonada antes da conclusão. Distância Centro a praia: 30 Km
Matadeiro: O nome Matadeiro é muito antigo, provém da época em que era permitido caçar baleias. Os pescadores montavam suas armadilhas na Armação e as matavam no Matadeiro, daí o nome das duas praias. Localizada entre as praias da Armação e Lagoinha do Leste, a praia do Matadeiro é relativamente tranqüila, com acesso somente a pé, cerca de 200 metros, depois de atravessar o rio que vem da Lagoa do Peri. O caminho pitoresco e agreste atrai muitos turistas durante o verão, especialmente surfistas que fogem do agito das praias tradicionais em busca de boas ondas e areia calma. Inacessível para carros, a praia ainda conserva seus morros cobertos pela mata nativa. É um convite para os apreciadores da natureza. Possui uma pequena estrutura de bares. Distância do Centro a praia: 25 km

Naufragados:

    
     

Praia primitiva, sem infra-estrutura e procurada por adeptos do camping selvagem. É necessário fazer uma caminhada de 3 km de subida de morro ou alugar uma baleeira na praia da Caeira da Barra do Sul, para se chegar até naufragados. Fica localizada no ponto mais extremo sul da Ilha. Apresenta águas limpas, frias e mar bravo. Uma boa opção para uma aventura. Distância do Centro a praia: 39 Km

Caieira da Barra do Sul:

         

Praia pequena, sem uma costa de fato como a maioria das praias do Leste e Norte da Ilha. A Caieira é uma praia quase exclusiva dos residentes, com poucos turistas ou casas de veraneio. Boa parte de sua costa não tem areia de praia e é privativa de algumas propriedades particulares que iniciam na estrada geral e vão até o mar. A praia mesmo tem menos de 1 km. A Caieira é uma praia de construções simples, mas simpáticas e em alguns pedaços o acesso corre por estrada de paralelepípedo e barro. O panorama é do lado oeste da Ilha, em direção ao continente, com águas muito calmas e quentes, torna-se ideal para voltas de caiaque ou lancha. A Caieira é mais um bairro do que uma praia, ideal para uma volta de carro com paradas em recantos juntos do mar e passeios de barco. Distância do Centro a praia: 39 Km

Ribeirão da Ilha:

       

O Ribeirão é um dos mais antigos povoados da Ilha. Registros indicam que em 1526 o espanhol Sebastião Caboto aportou ali e alguns de seus comandados se juntaram a náufragos de uma expedição anterior, de Dias de Solis, datada de 1515. É composto por várias pequenas praias, de águas paradas e areia grossa. O passeio vale pela viagem no tempo. Os costumes açorianos são a marca do Ribeirão, seja com o casario açoriano, bem como a igreja de Nossa Senhora da Lapa do Ribeirão e o Museu Etnológico do Ribeirão da Ilha, com acervo de peças raras, que retratam a colonização açoriana.
Localidade ideal para um passeio familiar. Distância do Centro a praia: 36 km

Tapera:

Próximo ao Aeroporto Internacional Hercílio Luz, localizada ao sul da Ilha, possui águas limpas e calmas. Em frente a praia, cerca de 200 metros mar a dentro, existe a Ilha do Largo. A tapera possui bares a beira da praia e é uma boa opção de passeio. Distância do Centro a praia: 27 km

Cacupé:

Neste recanto encontra-se tranqüilidade. Ideal para um piquenique ou passeio familiar. Sua extensão é de de 0.90 Km, apresenta pouca estrutura em termos de bares e restaurantes, e é em Cacupé que se encontra a Colônia de Férias do SESC. Distância do Centro a Praia: 10 km

Sto. Antônio de Lisboa:

Recanto calmo e de cultura açoriana, possui águas mansas e quentes. Foi a primeira localidade da Ilha a ter uma rua calçada conservando até hoje o material primitivo usado. Vem sendo desenvolvido o cultivo de ostras e mariscos. Distância do Centro a praia: 13 km

Sambaqui:

Pertencente ao distrito de Santo Antônio de Lisboa, Sambaqui é uma boa opção para quem procura descanso e tranqüilidade. Seu nome vem do amontoado de conchas dispersas em suas areias, chamando a atenção dos pesquisadores por revelar, de tempos em tempos, algum animal ou vegetal fossilizado. Suas águas são calmas, quase sem ondas e quentes.
Sua origem é indígena e significa cemitério, devido a extensos depósitos de areia, conchas, restos de artefatos e esqueletos que ali foram alojados. Atualmente este tradicional vilarejo de pescadores abriga além das famílias nativas, usuários temporários, turistas e veranistas a procura de tranqüilidade. A comunidade do sambaqui luta pela preservação dos seus costumes e tradições, através de danças religiosas e incentivos aos grupos de danças folclóricas, como o Boi de Mamão. Sambaqui possui, além de bares na praia, bons restaurantes. Distância do Centro a praia: 17 km.

Daniela:

De mar calmo é um balneário residencial e não chega a ter muitas opções em Termos de serviços. É muito freqüentada por famílias com crianças. A praia da Daniela é essencialmente ocupada por casas de veraneio. É caracterizada por águas calmas e claras e não chega a ter muitas opões de serviço. O nome da praia provém de uma homenagem à neta de um empresário que em 1970 comprou a maioria dos terrenos ali existentes. Distância do Centro a praia: 26 km

Praia do Forte:

Está localizada entre os balneários de Daniela e Jurerê. Na encosta que sucede a praia foi construído em 1740, o forte São José da Ponta Grossa, imponente fortaleza restaurada em 1992. Distância do Centro a praia: 27 km

Jurerê Internacional:

Com uma estrutura urbana totalmente planejada é a praia mais sinalizada da Ilha e a que abriga as maiores mansões da costa de Florianópolis. Dotada de ótima infra-estrutura, esta praia tem as mesmas características das praias do Norte da Ilha: mar calmo e límpido, ótimo para o banho. Distância do Centro a praia: 25 km

Jurerê:

      

Com sua infra-estrutura em crescimento geométrico, Jurerê é uma das praias mais tradicionais de veraneio da Ilha e ao mesmo tempo vêm se tornando uma das mais modernas. A praia é ideal para o banho, sem ondas, geralmente com águas quentes e com muitas famílias. Restaurantes de frutos do mar, como o famoso Toca da Garoupa, estão aqui e, como muitos outros, atraem veranistas de bom paladar . Junto com Canasvieiras e Ingleses, são as três praias mais requisitadas do Norte da Ilha. E ganhou recentemente duas altas: o viaduto sobre a SC-401, duplicada até o trecho de Jurerê, e a melhor boate de Floripa, o Ibiza Club. Distância do Centro a praia: 23 Km

Canasvieiras:

Localizada a 27 quilômetros do centro de Florianópolis, Canasvieiras mantém há muitos anos o título de praia "mais movimentada" da Ilha. A língua "oficial" é o portunhol, durante os meses do verão. É um dos pontos mais agitados da cidade, tanto de dia quanto à noite. Há bares, restaurantes, boates, diversões eletrônicas e shoppings, sendo um dos únicos lugares da Ilha onde se pode fazer compras de madrugada. Isso em qualquer dia da semana. Durante o dia, existem serviços que oferecem passeios de escuna, caiaques e jet-skis, ou qualquer outro meio náutico.
A Igreja de São Francisco de Paula, localizada em Canasvieiras, é um exemplo típico da arquitetura açoriana e da história da Ilha. Foi construída por volta de 1830 por Eduardo Moreira, parente do primeiro colonizador da Ilha de Santa Catarina ( Silva Paes ). A imagem do padroeiro (São Francisco de Paula) foi encontrada na praia, em frente à Ilha do Francês

Ponta das Canas:

Segue a tendência natural do norte da Ilha que historicamente, em função da necessidade de defesa contra espanhóis foi ocupado e urbanizado em escala muito maior que o sul. Suas águas são calmas e geralmente quentes, ideais para o banho. Sua areia é clara e fina. É uma opção para esportes náuticos e é uma das praias mais procuradas por turistas, principalmente argentinos. Distância do Centro a praia: 34 km

Fonte: Ilhas Net - GuiaFloripa - CidadeVirtual Terra

Lagoinha
 
FLORIANÓPOLIS